Auto da Barca do Inferno - Cena do Sapateiro


Clica na imagem e testa os teus conhecimentos sobre a Cena do Sapateiro.

Visiona o seguinte vídeo sobre um sapateiro à antiga... e deixa o teu comentário!


Auto da Barca do Inferno - Cena do Parvo


«O parvo Joane é uma figura singular. Desde logo, porque dispensa símbolos cénicos.
É verdade que, tal como os restantes mortos, não tem acesso à barca do Anjo; mas não é objecto da condenação sistemática que todas as outras personagens sofrem. Talvez por, já em vida, se haver colocado à margem de compromissos com o mundo terreno, não revela em cena qualquer temor face ao destino que, depois da morte, o espera.
A sua presença constante em palco permite-lhe intervir, a cada passo, com uma sinceridade desconcertante e bastante cómica.»

Cf. José Augusto Bernardes, Sátira e Lirismo no Teatro Vicentino, Lisboa, Ed. INCM, 2006 [adaptado]

P.S.: Clica na imagem e testa os teus conhecimentos sobre esta cena. 

A morte do avarento


Hieronymus Bosch, A Morte e o Avarento, 1488(1488)-1516

P.S.: Clica na imagem para poderes vê-la melhor.

Um avarento, nas palavras de Bocage

Levando um velho avarento
Uma pedrada num olho,
Pôs-se-lhe no mesmo instante
Tamanho como um repolho.

Certo doutor, não das dúzias
Mas sim médico perfeito,
Dez moedas lhe pedia
Para o livrar do defeito.

«Dez moedas! (diz o avaro)
Meu sangue não desperdiço:
Dez moedas por um olho!
O outro dou eu por isso.

Manuel Maria Barbosa du Bocage